Close

Não tem uma conta?

Faça seu registro!
lock and key

Entre na sua conta.

Login

Esqueceu sua senha?

Avaliações FVM2014 – La Inquisición

Avaliações FVM2014 – La Inquisición

A mecânica do jogo traz elementos para se criar tramas e intrigas (onde toco no tema Romance, do ponto de vista de um livro de Romance), e a administração da cidade, decidindo e interferindo no seu desenvolvimento (tema edificações). Para completar usei a Meta alternativa do Fantasma na Máquina, onde os jogadores e o Narrador se comunicam secretamente por mensagens eletrônicas, tornando as intrigas realmente vivas e presentes.

Juiz Convidado: Julio Matos

La Inquisicion aborta o tema das perseguições religiosas ocorridas entre os séculos XV e XVIII, promovidas pela Santa Igreja e seus tribunais de Inquisição. O jogo foca seu cenário na inquisição Espanhola e seu Tribunal do Santo Ofício. Durante o jogo, existirão acusações e os personagens serão pessoas diretamente ligadas a sua cidade que poderão ser alvo destas acusações e tentarão incriminar uns aos outros e negociar segredos para que consigam escapár do Inquisidor. O Jogo escolheu como temas Romance e Edificações além da Meta extra “Fantasma da Máquina”

O quão completo é o Jogo

La Inquisicion é um jogo bem contextualizado em seu cenário e sua mecânica Central é uma resolução de conflitos baseados na comparação do resultados de rolagens de um número específico de dados d6. Além disso ele usa um sistema de evolução dos problemas que a cidade enfrenta, seguindo a mesma lógica, para definir a progressão de dados dos personagens e os testes para resistir ao inquisidor. No entanto há diversos pontos de interação do jogo que o texto coloca sob o juízo do Narrador a decisão do que deve ser feito em seguida ou quão válido pode ter sido uma ação para resolução de um determinado problema.

O jogo possui diversos elementos que estimulam a intriga entre os jogadores, mas não define como ela se interpões a suas Agendas específicas e principalmente, o que ele recebe como retorno sobre isso. Resolver os problemas da cidade, mecanicamente é a única forma de ampliar os dados a sua disposição, portanto é a única atitude que recompensa o personagem e lhe dá recursos para resistir ao Inquisidor.

Talvez um dos problemas de La Inquisicion é colocar uma carga forte de resolução e fluxo nas mãos do Mestre ao mesmo tempo que não delimita ou amarra diretamente as mecânicas para auxiliar nesta decisão. Ao longo dao texto temos diversas menções as questões que o Mestre deve Avaliar, Observar ou “Pesar”, mas sem definir como ele fará isso exatamente, caindo na armadilha da “pressuposição do saber” do Mestre. Inclusive uma coisa que ficou confusa é o estabelecimento da acusação: Quem o faz? Por onde ele se inicia e com que parâmetros.

Para desenvolvimento futuro do jogo, a minha sugestão é que se insiram mecânicas onde as atitudes secretas dos jogadores gerem ou retirem dados de seus testes, dando uma função mecânica real para sua utilização. Além disso, especificar os gatilhos que “desencadeiam” as complicações que exigirão a resolução dos conflitos ´pode ser um bom caminho para auxiliar o Mestre a se situar.

Nota: 7,5

Uso dos Temas

Achei o uso dos temas interessantes apesar de no caso de Romance, a ideia ficar um pouco superficial e não estar diretamente amarrada as mecânicas. Não consegui encontrar a ideia de Narrativa Literária (com um romance de intrigas) através da Resolução de Conflitos ou das resistências ao Inquisidor. Porém na questão da construção do ambiente ela aparece menos como uma visão romântica, mas sim realista da crueldade da Inquisição. Acho que esse tema não foi bem explorado. No caso de edificações, es mecânicas de resolução estão bem amarradas no jogo aos estímulos e agendas dos personagens.

O uso do Fantasma da Maquina ficou interessante e providencial para a praticidade da troca de informações entre os personagens e o Narrador, apesar de me parecer uma certa quebra de imersão no contexto do jogo, mas que não compromete o todo.

Nota: 8,0

Afinidades entre regras e conceitos:

La Inquisicion me parece uma ideia estruturada e um cenário empolgante que me desperta a curiosidade em conhecê-lo, porém suas regras ficam um pouco a margem da experiência central que o jogo busca propor. Há um certo desalinhamento entre as agendas principais do jogadores de solucionar os problemas da cidade e o mote central que é ser alvo da inquisição. É como se fossem dois jogos separados e suas intersecções não parecem significativas. Dependendo do Mestre o jogo pode nunca chegar na fase da Inquisição, rolando “altas aventuras” na resolução do problema na cidade, até por que o cenário é ótimo e estimula diversas possibilidades.

Isso é uma coisa recorrente em alguns jogos onde as regras se atém a resolução dos conflitos, mas o impiulso para este é reservado ao “bom senso criativo” do Narrador. O jogo é uma bela proposta, com diversos insights bacanas, mas peca em reuni-los em torno da experiência, pois pressupõe, em diversos pontos, que o Mestre conseguirá fazê-lo sozinho.

Pode vir a ser um ótimo ponto de partida para um jogo interessante, desde que sua próxima fase de desenvolvimento seja amarrar as mecânicas, com seus impulsos e recompensas, na experiência original seja ela a de construção de cidade ou a de Intriga frente ao Inquisidor (ou mesmo ambas).

Nota: 6,0

Integrantes da Secular (Tiago Marinho)

La Inquisicion é um jogo cheio de conceitos interessantes: os jogadores são habitantes de uma cidade espanhola que enfrenta diversos problemas na forma de eventos, além da visita da inquisição – evento mais perigoso do jogo.

Os jogadores adotam arquétipos de habitantes da idade média, selecionados a partir de uma lista fixa, cada um com seus próprios valores nos atributos do jogo (Charme, Influência, Intelecto, Recursos e Reputação). Todos eles morarão na mesma cidade espanhola, que possui seus próprios atributos – derivados dos atributos dos personagens dos jogadores. Lá, haverão histórias de intrigas, que podem culminar na visita de um inquisitor, que eles tentarão evitar ou manipular para não morrerem queimados.

A idéia toda é muito boa, mas incompleta. Os eventos são descritos apenas com uma ou duas palavras, e não há regras para sua duração, efeitos ou dificuldade – ficando tudo na mão do mestre, que definirá tudo de forma arbitrária e com vagas orientações por parte do autor. O mesmo acontece com a visita do inquisidor. As regras básicas são simples e diretas: o personagem rola uma quantidade de d6 igual ao seu atributo, e há uma dificuldade também em número de d6 (que pode ser definida pelo mestre, um atributo da cidade, od inquisidor ou de outro personagem).

A evolução da cidade, na medida em que ultrapassa os eventos, é uma excelente ideia, e a evolução dos personagens ligada à evolução da cidade cria uma liga que reune suas ações no lugar de apenas ficarem sacaneando um ao outro no jogo de intrigas e punhaladas pelas costas.

Há toda uma discussão sobre evitar combates que achei essencial para manutenção do clima, mas talvez regras mais claras de ações e possibilidades para os personagens, além de penalidades sistêmicas, poderiam reforçar de forma mais interessante o conceito.

Acredito que trabalhando um pouco mais as ideias, com a expressão de regras bem claras para cada tipo de evento diferente, seus efeitos e suas consequências, além de um maior cuidado na descrição das ações e possibilidades do inquisidor, possa ser um jogo bastante interessante, principalmente no equilíbrio entre sacanear os rivais e evoluir a cidade.

  • Quão Completo é o jogo: Nota 7,0 – o jogo é relativamente completo, possível de ser jogado, mas há muitas coisas que são deixadas para decisão arbitrária do mestre.
  • Uso dos temas: Nota 4,0 – o tema de romance é levemente citado, e o fantasma da máquina não apareceu de verdade. Gostei da forma como usou edificações, com a dicotomia de crescimento da cidade x rivalidade entre os personagens.
  • Afinidade entre regras e conceito: Nota 6,0 – as regras são muito genéricas, e acabam não traduzindo os conceitos que o autor tentou implementar. Creio que um trabalho braçal e de testes possa facilmente corrigir isso, e melhorar bastante os conceitos deste jogo!

 

Um comentário